Pesquisar este blog

Seja bem vindo(a) ao Blog da Vanyr Carlla

A arte está em nós, devemos apenas deixá-la livre pra poder se expressar de alguma forma: escrevendo, pintando, desenhando, cantando, fotografando e até mesmo sonhando... ou seja, do jeito que tem que ser!















Loading...

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Quem disse que só fazemos amor? 2 "Em Breve"

(Clique ma imagem e amplie para ver a linda capa criada por Danilo Marques, caricaturas perfeitas kkkkkkkkkk)

Caro leitor, este livro vai abalar a estrutura literária no Brasil, após o enorme sucesso do livro Quem disse que só fazemos amor 1( Manual de sobrevivência dos homens na selva das mulheres modernas!) - em co-autoria : Dyandreia Portugal, Cristina Ceccágno, Jô Mendonça Alcoforado, Vanyr Carlla , Nívea Sabino e Izabelle Valladares. O livro não poderá deixar de ser um grande sucesso!
Com o subtitulo : Manual de sobrevivência das mulheres na selva dos homens modernos.
O livro será lançado internacionalmente na feira de Buenos Aires em Espanhol e aqui no Brasil na Bienal do Rio de janeiro.
O livro será editado pela All Print e todas as autoras estarão presentes distribuindo autógrafos.
A capa do livro é do ilustrador Danilo Marques e as charges humoradas no interior dele também.

Abaixo o prólogo do livro só para encher a boca do leitor de água, do que vai encontrar por lá.
Um grande beijo e vamos que vamos:


PRÓLOGO:



Se não fossem as mulheres, o homem ainda estaria agachado em uma caverna comendo carne crua. Nós só construímos a civilização com fim de impressionar nossas namoradas.
Orson Wells

 Izabelle faz uma breve apresentação do nosso livro:


Para início de conversa


Bom amigas e amigos, para quem não me conhece, me chamo Izabelle, e tenho hoje 35 anos, não sou linda, não sou feia, não sou obesa mórbida, não sou magra, enfim... Um tipo absolutamente normal, que não passa despercebido, mas também não é mais a morena do tchan. Entendeu?
Mas o que nos fez escrever este livro não são tipos físicos, isso pouco importa, o que nos reuniu para esta obra prima da "guerra dos sexos " foi exatamente o comportamento humano.
Sou escritora, e há muito pouco tempo atrás, escrevi um livro sobre nós mulheres alertando aos homens sobre nossos defeitos e qualidades, para que se enquadrassem em seus pares perfeitos, mas, visto que esta matéria acabou tornando-se uma grande confusão, fui tentada a escrever sobre os homens. Afinal, criei um manual para os homens e deixei as mulheres na expectativa de um manual para mulheres, enfim, sozinha escrever sobre as mulheres foi fácil, pedi as amigas que colaborassem com e-mails e criei os tipos mais sórdidos e engraçados, mas falar sobre os homens é um pouco delicado, claro que santa eu não sou, mas também não sou nenhuma “expert” em todos os tipos e é claro que vocês homens , sempre originais e “amáveis” sempre aparecem com novas linhagens, como os metros-sexuais, classe nova , que aliás, diga-se de passagem , eu acho o máximo, então precisei da ajuda de cinco escritoras poderosas para que o manual saísse perfeito, mulheres lindas e inteligentes,de profissões diferentes,mas todas com um sexy apeel refinado,e o que me fez selecionar estas cinco mulheres?????
Existem mulheres que conseguem arrancar suspiros por onde passam, não só dos homens ,mas também das mulheres que as cercam.Outras por mais bonitas que sejam passam despercebidas para a maioria, e o que me chamou a atenção nessas mulheres é exatamente a dificuldade de passarem despercebidas.
Mas porque isso acontece?
O que torna algumas pessoas tão atraentes?
Na verdade há dois tipos de mulheres, as poderosas e as boazinhas.As poderosas exercem esta força de atração,mais por seu comportamento seguro que pelo seu físico,são fortes,independentes e não fazem do sexo oposto seu elixir vital de felicidade.
As boazinhas, no entanto,cobram atenção em tempo integral,estão sempre disponíveis quando os homem estalam os dedos e no final das contas,se eles não estalam,elas entram em desespero.
Pois bem, Dyandreia Portugal, Nívea Sabino, Jô Mendonça Alcoforado, Vanyr Carla e Cristina Ceccágno, certamente não estão no time das boazinhas e sim no time das poderosas,que têm algo a dizer, e juntas mostram o lado obscuro da alma masculina.
Ser uma mulher poderosa, não significa ter uma voz super sexy, usar chicote e ser má significa estar consciente de suas qualidades, valorizar-se, não ter medo de se impor, e acima de tudo, saber que os defeitos masculinos estão, aí,pra quem quiser ver...E você? Vai ser poderosa ou continuar boazinha com essa cara de boba?
Mas ,o mesmo motivo que me levou a escrever para os homens, foi o motivo que me levou a escrever para as mulheres. Porque os sexos opostos se repelem com tanta facilidade ultimamente? Será a nossa independência crescente e assustadora? Será porque nos descobrimos mais evolutivas? Será que nós mães, criamos nossos filhotes machos de forma a se sentirem os reis da cocada preta e depois eles caem na real e vêm o quanto é preciso mudar para viver bem com uma mulher? E que mamãe não é nenhuma mulher maravilha?
Bem, não querendo defender somente a nossa classe, aliás, fui taxada até de anti-feminista em meu primeiro artigo, por defender os homens, desta vez, não vou “apedrejá-los” ou queimá-los vivos na fogueira como bruxos capazes de enfeitiçar nosso coração, simplesmente, vou mostrar que por trás desses anjinhos, há muito mais do que pensamos, por trás de olhares másculos e pescoços que exalam testosterona existem seres maravilhosos, ou não... E que para amá-los é fácil demais e que para esquecê-los, basta ir à caça e arrumar outro com defeitos pelo menos diferentes do anterior, por que o perfeito só na novela das oito.

Não quero criar uma guerra dos sexos com este livro, muito pelo contrário, acho que nós mulheres devemos cada vez mais entender nossos parceiros ,seja na cama, seja fora dela, mas o mais importante é saber rir dos nossos erros e depois não cometer os mesmos erros e escolher errado novamente, porque rir uma ou duas vezes é mole, mas rir a vida inteira das escolhas erradas é complicado, vai chegar uma hora que nem você vai saber do que está rindo. E como diria o poeta Frejat,  “Rir de tudo é desespero” e eu até que concordo.
É lógico que hoje vivemos em uma sociedade modificada, em que as pessoas vão a público queixar-se até mesmo da igreja, coisa que era um suicídio involuntário, há algum tempo atrás, as famílias tomaram novos moldes, com pais que tomam conta das crianças, dois ou três ex-maridos indo buscar os filhos na mesma casa no final de semana e mulheres que trabalham o dia todo e se culpam por falta de tempo, e as mulheres que queimaram seus sutiãs em praça pública, hoje estão com a silicone em dia e o botox imperando na “cara”, enfim, nossa sociedade mudou, nossos valores mudaram, antes casar virgem era uma obrigação, hoje a obrigação é não casar,( o que eu acho justo, e olha que sou mãe de duas meninas) , porque quantos não são o nosso número?

Bom, que este livro seja uma chave para o universo masculino, que você possa perceber, suas falhas, onde localizar o tipo que mais te agrada e os que você mais despreza. Que você mulher moderna, liberte-se de tabus tipo, este é pequeno, este é grande, este é rico, este é pobre, porque todo ser humano é suscetível a mudanças, você pode transformar um sapateiro em um mega empresário da indústria de calçados, basta entender, que nós mulheres, com nosso poder de sedução e domínio, somos mil vezes mais influenciadoras que os homens e que , se a porrada comer, temos a DEAM, ( Delegacia Especial de atendimento a Mulher) e eles pobrezinhos ainda não tem uma DEAH, fazer o que né?

Bom amigas e amigos, boa leitura, se não se pode vencê-los, junte-se a eles, ou case-se com eles, ou só os coma de vez em quando, que também faz parte da vida... 
Vanyr Carlla - Co-autora de "Quem disse que só fazemos amor? 2 ( Manual de sobrevivência dos homens na selva das mulheres modernas!)

2 comentários:

  1. Olá, Vanyr!!

    Adorei onde você diz " emos a DEAM, ( Delegacia Especial de atendimento a Mulher) e eles pobrezinhos ainda não tem uma DEAH, fazer o que né?"

    Estamos pagando pelos erros do passado, e agora é rezar para que os músculos femininos não sobreponha os masculinos, caso contrário, vamos apanhar muitooo!!!kkk

    Muito bom texto, e o livro deve ser ótimo...

    Adorei as pinturas, maravilhosas!

    Um ótimo fim de semana, Vanyr.

    Marcio RJ

    ResponderExcluir
  2. Oi Márcia,

    O livro é divertido!Falamos dos vários tipos masculinos...aguarde. Obrigada pela visita, e ótimo final de semana pra você também!

    Vanyr Carla

    ResponderExcluir